INVESTIGAÇÃO

A vocação científica do IEmo é dar a conhecer textos inéditos de autores modernistas, como temos feito com os de Pessoa, ao longo de uma trintena de livros, tentando refazer as obras projectadas pelos seus autores. Não esquecer que uma boa parte dos textos do espólio pessoano depositado na Biblioteca Nacional ainda está por fixar e os conjuntos a que pertencem, por organizar. Há também que ter em conta o tratamento a dar aos textos ainda na posse da família, de que um recente leilão – uma pequena parte deles – veio revelar a existência.
- Promover a edição crítica das obras já publicadas dos modernistas, vítimas de leituras e organizações incorrectas nas edições em circulação.
- Estudar o Modernismo e a Vanguarda na literatura portuguesa e nas suas ligações europeias e mundiais, constituindo uma ponte entre os estudos literários e os estudos artísticos. De facto, neste movimento complexo estão presentes múltiplas práticas literárias, artísticas e culturais, numa expansão integradora e transversal.
- Estudar, ainda, a linha diacrónica que continua, no século XX, o Modernismo e a Vanguarda, nomeadamente os anos 30, associados à revista presença; o período das Neo-Vanguardas, que se segue à Segunda Guerra Mundial e, sobretudo, ocupa os anos 50 e 60. Os mesmos traços distintivos se encontram ao longo desta «tradição da Vanguarda», ou seja, uma relação forte com os mestres modernistas iniciais, e o diálogo inter-artes praticado sistematicamente.
- Estudar os diálogos transversais entre a literatura, as artes, as ciências e as técnicas no Modernismo português. Partindo da ideia de que o artista-engenheiro não se confina ao Renascimento e ao modelo de Leonardo da Vinci, torna-se premente cartografar as relações entre as áreas do conhecimento que o Modernismo fez conviver.
- Dar a conhecer, através deste seu site - e da revista Modernista, online - não só as investigações em curso dos seus membros como também o que nos nossos domínios se está a fazer no mundo.